Estamos vivendo tempos difíceis. O cenário da pandemia no país continua incerto e muitas vezes somos pegos pelo medo e ansiedade de não saber quando tudo isso irá passar. Você sabia que muitos sintomas das crises de ansiedade e estresse podem parecer sintomas da COVID-19? A dificuldade para respirar, associada a febre e tosse, é um dos principais sintomas da COVID-19, doença causada pelo Sars-CoV-2, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O problema é que a falta de ar também é um dos principais sintomas dos transtornos de ansiedade.

O Dr. Gabriel Carneiro, clínico credenciado da Paraná Clínicas, explica que por estarmos vivendo um período que acumula vários fatores estressantes, pode ser difícil distinguir se os sintomas são parte de uma crise de ansiedade ou são, de fato, causados pela COVID-19.

“A angústia dos pacientes diagnosticados com o vírus vem justamente do medo de acontecer uma complicação respiratória e pulmonar, mas vale lembrar que 80% dos casos da COVID-19 são leves. Orientamos que em pacientes com casos leves ou apenas casos suspeitos devem permanecer em casa e entrar em contato com os médicos no nosso teleatendimento”.

Se os sintomas persistirem

Se os sintomas como falta de ar e aperto no peito não desaparecem, busque o atendimento médico. O Dr. Gabriel esclarece que os sintomas de ansiedade, muitas vezes confundidos com os do coronavírus, podem ser investigados no atendimento pelo médico, onde será checada além da oxigenação sanguínea, exame físico completo que provavelmente elucidará qual o real diagnóstico.

Diferenças dos sintomas

No acolhimento junto ao médico, percebe-se que, nos transtornos ansiosos, a falta de ar é mais episódica, não é constante, nem piora com pequenos esforços. Se você está com um problema realmente físico, como a covid-19, você vai sentir exaustão ao subir alguns degraus de escada, por exemplo. E, vale lembrar, que a ansiedade não causa febre. Então a ausência de febre, de um modo geral, pode sinalizar que a sua falta de ar é mais associada à ansiedade, especialmente no caso de um paciente que já tem diagnóstico de um transtorno ansioso Porém, se na consulta médica, for verificada a baixa oxigenação sanguínea, alteração na ausculta pulmonar ou outras alterações, pode ser indicada a investigação do coronavírus.

Mantenha a calma

“Quando existir um sintoma como falta de ar e aperto no peito, é importante manter a calma. Normalmente, ansiedade se apresenta como um quadro intermitente, ela aparece e some – mesmo que dure um tempo prolongado entre 2h à 3h. Na COVID-19, a ansiedade dela é constante. Se ainda assim tiver dúvidas, ligue no nosso teleatendimento, tire suas dúvidas, informe-se!”

O que posso fazer para lidar com o estresse e a ansiedade?

É normal sentir-se ansioso ou preocupado por causa da COVID-19. Também é normal sentir-se estressado ou sozinho quando você não pode realizar suas atividades normais ou ver amigos e parentes. Você pode cuidar de si mesmo tentando:

  • Fazer uma pausa nos noticiários
  • Fazer exercícios regularmente e comer alimentos saudáveis
  • Tentar encontrar atividades que lhe agradam e que podem ser feitas em casa
  • Manter contato virtual com seus amigos e familiares

Também pode ser útil lembrar que, ao fazer coisas como ficar em casa você está ajudando a proteger outras pessoas da sua comunidade. Caso necessite de contato com grandes grupos, o uso da máscara é essencial.

Lembre-se de que muitas pessoas contaminadas com COVID-19 são assintomáticas. Estar sempre informado e bem orientado é importante e assim fazer o possível para diminuir o risco e ajudar a retardar a propagação do vírus. Porém lembre-se sempre de manter a calma e tentar não entrar em pânico.

Fonte: Dr. Gabriel Carneiro, Clínico

Leia mais:

Teste de COVID-19: entenda as diferenças de cada exame

Infertilidade: conheça as formas de tratamento

Setembro Amarelo: por que devemos falar sobre suicídio em todos os meses do ano